Arquivo para agosto \30\UTC 2011

30
ago
11

Di Cavalcanti “mulata com flores na cabeça”…pontilhismo


Esse é o resultado de mais um estudo da disciplina de linguagem visual, utilizei a imagem de Di Canvalcanti para exercitar a técnica de pontilhismo… foram mais de 50.000 …….pontos……………….

“A técnica de pontilhismo caracteriza-se por ser uma técnica em que pequenas manchas, pontos, provocam uma mistura óptica nos olhos do observador.

Se efetuarmos uma ampliação de uma imagem vamos perceber que todas as partes da mesma são formadas por pontos coloridos que são percebidos como uma cor só, pela maneira como funciona o nosso olho.

Georges Seurat (1859-1891)

Foi aquele que se pode considerar o iniciador desta corrente artística – divisionismo. O seu grande contributo inovador consistiu na decomposição prismática da cor e na mistura óptica que ela provoca, deixando para segundo plano a representação do instante luminoso que tanto havia apaixonado os Impressionistas.

Paulo Signac (1863-1935)

Começou impressionista, foi, ao lado de Seurat, o criador do “pontilhismo”. Signac pintou sobretudo paisagens entre numerosas vistas de Saint-Tropez, portos e marinhas. Exerceu influência considerável sobre outros estilos, como o fauvismo e o cubismo.

As bases do pontilhismo encontram-se tanto nas idéias de vários físicos do fim do Séc. XIX, entre os quais Hermann vom Helmholtz, como  na análise da luz e da cor e na influência da própria pintura impressionista.

O pontilhismo revelou-se particularmente apto a reproduzir uma atmosfera vibrante, de luz e calor. Foi também, de certo modo, uma das tendências que melhor anunciaram a abstração de cor e forma a que chegaria, anos depois, a pintura ocidental. ” (Texto extraído do material de aula Fundamentos da Linguagem Visual Prof. Sandro Leite)

 

 

12
ago
11

“A educação não muda o mundo, a educação muda as pessoas, pessoas mudam o mundo…”


Exercício escala tonal com pontos disciplina linguagem visual.

Segue abaixo um exercício com aplicação de pontos para dar volume, utilizei como referência a imagem de uma perspectiva do livro “Desenho a cores” de Michael E. Doyle.

08
ago
11

A auto satisfação e a paz interior, ilumine-se com a arte…


Trechos do livro a cor no processo criativo, escrito por Lilian R. M. Barros: ” em 1977, Max Luscher desenvolve um estudo denominado Der 4 – farben- mensch (A pessoa de quatro cores), Nesse livro, ele propôe uma nova análise do comportamento humano por intermédio da dinâmica dessas quatro cores. Sua idéia central é que o equilíbrio interno almejado ( a auto-satisfação e a paz interior) dependeria da presença equilibrada dos quatro princípios que as cores primárias psicológicas carregam: auto-respeito estável (verde), autoconfiança ativa (vermelho), auto satisfação atendida (azul) e liberdade para o autodesenvolvimento (amarelo). O desequilibrio explica vários esteriótipos, identificando os problemas de comportamento e indicando os sentimentos e ações que precisam ser cultivados.”

Concluo através das minhas experiências que existem muitas sensações que são despertadas na criação de uma obra, a escolha das cores nos proporcionam (a auto satisfação e a paz interior) sentimentos diversos, algumas pétalas amarelas iluminam o olhar de quem observa (a obra) e o laranja desperta uma sensação de alegria…




Ilustres visitantes

  • 232,314 hits
agosto 2011
S T Q Q S S D
« jul   set »
1234567
891011121314
15161718192021
22232425262728
293031  

Atualizações Twitter