Archive for the 'Não categorizado' Category

06
abr
15

A morte não é a maior perda da vida. A maior perda da vida é o que morre dentro de nós enquanto vivemos. (Pablo Picasso)


linhas

Um leve começo para abstração, uma obra para ser abstrata não deve conter formas figurativas, segue um estudo realizado na faculdade de Belas Artes, onde restos de fotografias que tirei na Casa Modernista (lá me emocionei vendo um vídeo contando a história da construção daquela casa…) foram recortadas formando um patchwork com linhas retas, horizontais, verticais, inclinadas, círculos e uma textura feita com a ponta seca do compasso, vários tons de cinza surgiram nessa experiência,  há… como é difícil construir algo abstrato…

01
abr
15

Tanto mar, tanto mar…por Chico Buarque


mar 31_03

Segue mais um estudo de técnica mista de pintura feita no papel telado com aquarela, lápis de cor e um fio 001 de naquim, sempre que termino uma pintura penso numa música, num poema ou pensamento…acho que ajuda a expressar a sensiblidade colocada em cada pintura e a conceituar a construção pictórica, sempre busco inspiração na natureza e em artistas diversos.

Foi bonita a festa, pá
Fiquei contente
Ainda guardo renitente
um velho cravo para mim

Já murcharam tua festa, pá
Mas certamente
Esqueceram uma semente
n’algum canto de jardim

Sei que há léguas a nos separar
Tanto mar, tanto mar
Sei, também, como é preciso,
Navegar, navegar

Canta primavera, pá
Cá estou carente
Manda novamente
algum cheirinho de alecrim

Chico Buarque

31
mar
15

Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel…


flores 31_03

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo
E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo
Corro o lápis em torno da mão e me dou uma luva
E se faço chover, com dois riscos tenho um guarda-chuva
Se um pinguinho de tinta cai num pedacinho azul do papel
Num instante imagino uma linda gaivota a voar no céu

Vai voando, contornando a imensa curva norte-sul
Vou com ela viajando Havaí, Pequim ou Istambul
Pinto um barco a vela branco navegando
É tanto céu e mar num beijo azul

Entre as nuvens vem surgindo um lindo avião rosa e grená
Tudo em volta colorindo, com suas luzes a piscar
Basta imaginar e ele está partindo, sereno e lindo
E se a gente quiser ele vai pousar

Numa folha qualquer eu desenho um navio de partida
Com alguns bons amigos bebendo de bem com a vida
De uma América a outra consigo passar num segundo
Giro um simples compasso e num círculo eu faço o mundo

Um menino caminha e caminhando chega no muro
E ali logo em frente a esperar pela gente o futuro está
E o futuro é uma astronave que tentamos pilotar
Não tem tempo nem piedade nem tem hora de chegar
Sem pedir licença muda nossa vida
Depois convida a rir ou chorar

Nessa estrada não nos cabe conhecer ou ver o que virá
O fim dela ninguém sabe bem ao certo onde vai dar
Vamos todos numa linda passarela
De uma aquarela que um dia enfim
Descolorirá

Numa folha qualquer eu desenho um sol amarelo
Que descolorirá
E com cinco ou seis retas é fácil fazer um castelo
Que descolorirá
Giro um simples compasso e num círculo eu faço o mundo
Que descolorirá

Toquinho

14
mar
15

As flores refletem bem o verdadeiro…


flor  1  13 03

As flores refletem bem o verdadeiro.Quem tentar possuir uma flor, verá sua beleza murchando. Mas quem apenas olhar uma flor num campo, permanecerá sempre com ela. (Paulo Coelho)

14
mar
15

A flor amarela, aquarela e poesia…


flor 2  13 03

Olha
a janela
da bela
Arabela.

Que flor
é aquela
que Arabela
molha?

É uma flor amarela.

 (Cecília Meireles)
03
jun
14

Mas aquela curva aberta…


Mas aquela curva aberta...

Mas aquela curva aberta
Aquela coisa certa
Não dá para entender…
(Caetano Veloso)

Mais uma experiência com a camêra analógica, gosto dos tons neutros que se formaram após a revelaçao dessa imagem, vejo movimento e beleza na direção das linhas dessas avenidas com o cruzamento do viaduto acima, o caos enfileirado e um certo desfocamento na imagem contida…as linhas duras e horizontais dos prédios se contrastando com a “curva aberta” desse trânsito sem fim da cidade de São Paulo…

31
maio
14

Quando dois meios se encontram…


Quando dois meios se encontram desaparece a fração

E se achamos a unidade

Está resolvida a questão…

(Tom Jobim)

MAM

 Olhar registrado de uma das janelas do Museu de Arte Moderna de São Paulo, mais uma experiência que fiz  com a camêra analógica, achei bem interessante o resultado e  de todo o processo de revelação que requer paciência, delicadeza e uma pitada de amor…

 




Ilustres visitantes

  • 232,314 hits
julho 2017
S T Q Q S S D
« abr    
 12
3456789
10111213141516
17181920212223
24252627282930
31  

Atualizações Twitter